Na imagem: Manuella divide seu tempo entre o trabalho como redatora e os estudos para o concurso

VIA CORREIO DA BAHIA

Acordar cedo, tomar café, preparar o material de estudo. Há quase um ano, as manhãs da jovem Manuella Maia, de 24 anos, são reservadas para o aprendizado dos assuntos que fazem parte do concurso público de professor do estado da Bahia (Saeb/02/2017). Formada em letras pela Universidade Católica, a jovem espera conseguir uma das mais de três mil vagas ofertadas para o cargo de professor, distribuídas pela capital e outras 26 cidades da Bahia. A seleção tem ainda 644 vagas para coordenador pedagógico.

“Não é fácil manter a rotina de estudo para o concurso e o trabalho como redatora. Dentro do objetivo de organização do tempo de dedicação ao concurso, precisei abrir mão de coisas que gosto de fazer e reservei os finais de semana para as aulas dentro de um cursinho”, conta Manuella.

>> Acesse aqui o edital do concurso

Próximo ao local onde mora, o Ímpar – Curso Preparatório para Concursos, no Rio Vermelho, é o espaço onde Manuella estuda nos finais de semana. Entre as aulas e apostilas focadas nos temas gerais e específicos do concurso, a jovem acredita ser importante ter atenção com as questões ligadas às legislações da área educacional.

“Existem questões do âmbito do direito que são mais complicadas. Para não sofrer com elas, procuro estudar a parte teórica e resolver as questões das provas aplicadas pela banca realizadora do concurso. Isso ajuda na compreensão das estruturas das questões”, diz Manuella.

Desde 2010, houve uma mudança da noção de educação aplicada nos concursos para professores da rede de ensino estadual, observa Rose Sampaio, professora do curso Ímpar. Ela afirma que as provas passaram a cobrar mais habilidades relacionadas com a pedagogia e o meio escolar.

“Não basta apenas ter o conhecimento específico sobre determinada área, é necessário ter noções da parte prática educacional. Saber de assuntos que envolvem cidadania, igualdade de gênero e raça. São temas tratados em questões objetivas e discursivas”, explica Rose.

Segundo o professor Sérgio Sampaio, do curso Klicc – Concursos, no Imbuí, os candidatos precisam responder de forma minuciosa as questões de conhecimento pedagógico.

*Sob supervisão da editora Cassandra Barteló